segunda-feira, junho 05, 2006

Alunos (3)

Parece que a sra. ministra foi para a televisão (eu não vi) com uns gráficos.
Um gráfico que mostrava a descida no número de alunos.
Um gráfico com a subida no número de professores.

(Podia ter mostrado um gráfico com o aumento das qualificações dos professores, mas claro que isso ainda levantava era a suspeita de a sra. poder estar a dizer bem dos professores, e isto é certamente a última coisa que quer que esperem de si!)

Um gráfico com a subida no orçamento dedicado à educação.
Finalmente, um gráfico a mostrar que os resultados dos alunos se mantiveram constantes.

Sra. ministra, isto não dá para lhe suscitar nem uma levíssima suspeita sobre onde é que pode estar efectivamente a sede principal do problema?

3 Comments:

Blogger Tit said...

Milú - Hum... então, se os gráficos do sucesso dos alunos continua constante......aaaaannnnnn.... não sei onde querem chegar... Mas o problema não tem que ser dos professores?!... ai que já estou baralhada...

5/6/06 22:57  
Blogger Miguel said...

É impressionante constatar como ninguém do Ministério é capaz de fazer um "mea culpa" em relação à sua (in)acção. Ao menos, os professores ainda vão dizendo que uns trabalham (uma maioria) e outros não...

8/6/06 12:32  
Blogger soledade said...

Sobre gráficos, manipulação e branqueamento:
«Durante décadas e décadas e décadas Portugal foi o país da Europa que menos investiu em educação. Mesmo depois de Abril, estivemos sempre abaixo da média europeia. Recentemente, entre 1997/1998 e 2002/2003, num período curto de 4 ou 5 anos, fizemos um esforço um pouco maior. Um indicador, apenas um – a despesa pública em educação estimada em percentagem do PIB – subiu acima da média europeia (o que não espanta tendo em conta que o nosso PIB é muito baixo!) e logo se generalizou a ideia de que estávamos a gastar de mais.
Não se consultou a página anterior dos mesmos relatórios (aí se verificando que a despesa média por aluno continua a ser das mais baixas da Europa) ou a página seguinte (aí se constatando que o total da despesa em educação, e não apenas da “despesa pública”, estimada em percentagem do PIB não ultrapassa a média europeia). Publicou-se apenas, e repetidamente, a mesma página com o objectivo de criar um ambiente social desfavorável ao investimento público em educação.»
(palavras de Nóvoa, no Debate Nacional sobre Educação, na Assembleia da República, em 22/05/06).
De facto, o despudor deste ministério é total!

18/6/06 02:46  

Enviar um comentário

<< Home