sábado, novembro 19, 2005

Discurso Elucidativo da Ministra da Educação

As novas medidas e os novíssimos decretos de avaliação dos professores.
A
谢谢你的来信,更谢谢你对美国之音的爱护和支持,希望我们下面的回应能够解
答您的问题。(aqui saúda o Presidente da Assembleia, o Primeiro Ministro e o Paulo Portas pela ideia do sistema Escola Segura)
A
1) 我们一直在以电子邮件,为订户传送最新的重大新闻和突发事件。我们的这项
免费电邮新闻服务,获得很大的回响,(tossiu) 受到广大的欢迎。另外,(espirrou)我们还提供每周 (SANTINHO!!!)
免费寄送‘英语教学’课文。如果你或你的朋友对我们这些服务感兴趣的话,只
要来个电邮,就会收到我们每天的新闻和每周的英语学习课文。(Nega qualquer conhecimento sobre as causas dos erros do programa… não entendemos se se reporta ao do computador ou ao do ensino…)
要是你注册登记的网址是在中国大陆: 请向 (aqui apela à boa vontade) 订阅[电邮新闻]; 请向 (exige das Câmaras) 订阅 [英语教学]。
A
如果你注册登记的网址是在中国大陆以外: 请向 (subscreve que os pais, quanto mais analfabetos melhor para avaliarem os professores) 订阅 [电邮新闻];
请向 (todo o governo esteve de acordo) 订阅 [英语教学] 如果你对电邮新闻服务有建议,请发信到
当然更欢迎你浏览我们的网页:

2) 如果你要索取稿件,想收看我们的电视节目,或是要知道如何上我们的网页,
请寄电子邮件到: (E de novo justifica os atrasos das listas de colocação de profs)
同时请你在寄送的文件标题栏上,选用下列类别,以便我们迅速处理:
[索取稿件],[收看电视],[如何上网],(atenção a este aspecto… é inaudito!!!) [节目意见],[经济节目],[英语节目],[其他]。(espirrou) 如果你的亲朋好友没有电脑,他们可以寄信到下面二处索取。(SANTINHO!!!) 北京邮政信箱 9171 号 邮政编码 100600 香港邮政信箱 8623 号 (note-se que a escala de avaliação era de 0 a 20)
A
3) 如果你对英语教学节目有建议或是英语方面特别问题,请寄电子邮件:
(afirma que cumpriu) 如果想和我们的特别英语节目-Special English 联系,请寄电子邮件:Special English (o novo método de ensinar matemática passa pelo domínio do idioma Inglês) 你想得一份[财经纵横]节目的月刊吗?想要跟节目主持人探讨美中贸易吗?请来 个电子邮件: (claro que cabe aos pais dos alunos a última palavra sobre se os meninos passam ou não… evidentemente!) – APLAUSOS e APUPOS.
“法律窗口”是介绍美国法律为主的专题节目。如果你希望订阅这个节目的文字稿件,请电邮到 (desenvolve o Índice dos novos decretos)
A
4) 打免费电话参加节目讨论 (tossiu, espirrou e assoou-se) IBIDEM!
A
I)每星期一到星期四的“时事大家谈”、星期六的“保健园地”,及星期日的“
海峡论谈”,在中国时间晚上九点到十点,(esta análise é de sobremodo solene como se pode observar) 请打免费电话参与我们的节目。
另外,你想对我们的节目和你所关心的问题提出意见,也请打免费电话,电话开
放时间是:星期一到星期五晚上,十点到十点半,“今日美国”热线时间;十点
半到11点。(as contínuas e os contínuos têm que fiscalizar os professores)
在中国大陆听众,请拨10810,在听到中文录音之后拨866-837-5161。(não é número de telemóvel) 在台湾听众,请拨 0080102880,在听到英语录音之后拨 866-837-5159。(sempre na escala de zero a vinte … os novos e inéditos métodos de avaliação dos professores)
A
II)在中国大陆和台湾之外的听众,对每星期一到星期四的“时事大家谈”节目,
请打202-260-3727;星期六的“保健园地”,及星期日的“海峡论谈”,请拨20
2-619-3483,在中国时间晚上九点分到十点打免费电话。
我们希望大家随时对我们提出建议和指正,让我们的节目能精益求精,给听众和
网友提供更好的服务。但是目前由于来信很多,(claro, claro, ao abrigo do decreto…) 我们人手有限,无法一一 (espirrou) 及时回 SANTINHO!
答,尚请原谅。最后,感谢大家多年来的支持与合作。
A
A
E por causa desta e de outras...
A
... EU FIZ GREVE!!!
A



























(antes de carregarem no play ponham mesmo MUITO ALTO!!!

Depois... imaginem o meu sorriso!...)

A

;o) The LBug

Querer realmente o sucesso dos alunos

Na minha mais que modesta opinião, se este Governo quisesse realmente o sucesso dos alunos dirigir-se-ia à escola, professores e pais, nestes termos (aqui muito simplificadamente expostos):

"Consideramos os indicadores seguintes ... (que incluiriam os resultados dos exames e provas de aferição, bem como o abandono escolar, sem prejuízo de outros) essenciais na promoção de uma escola de qualidade, e estabelecemos para cada um deles uma fasquia.
"Têm 3 anos (nunca menos): um, para se prepararem; e dois, para levarem à prática o que planearam.
"Nós damos aos orgãos de gestão da escola um real poder para conseguirem organizar a escola/agrupamento do modo mais autónomo possível.
"No fim dos 3 anos os resultados serão avaliados.
"Se estiverem acima daquela fasquia, tudo bem.
"Se estiverem abaixo, iremos indagar porquê.
"Se se revelar que as causas do insucesso não são imputáveis à escola, colaboraremos para apoiar a escola no que ela precisar para melhorar.
"Se forem imputáveis à escola (professores e/ou pais), intervimos na gestão da escola."

Tenho ouvido dizer pelos especialistas na área que o sucesso dos alunos noutros países está positivamente correlacionado com o grau de autonomia das suas escolas.
Além disso, procedendo como tem feito, o Governo desresponsabiliza imenso quer professores, quer pais, dos resultados que os alunos venham a obter...

terça-feira, novembro 15, 2005

E esta , Hein?

Esta notícia veio na SIC ,hoje dia 15 de Outubro de 2005. Leiam e meditem.
"Diplomas à venda na Internet

Há professores universitários a recorrer a diplomas falsos para dar aulas




Há professores universitários a recorrer a diplomas falsos para dar aulas. Os diplomas são, facilmente, obtidos através da Internet e as instituições de ensino não verificam a veracidade dos documentos.

SIC


Os casos de professores com diplomas falsos são difíceis de detectar. Uma viagem pela Internet deixa, no entanto, perceber como é fácil obter um destes documentos falsificados com todos os pormenores. É só escolher a universidade e o curso para, em menos de duas semanas, o diploma chegar a casa do comprador. Há sites que até têm preço de saldo para quem encomende um conjunto onde está incluído o resumo curricular do aluno, com todas as notas, de todas as cadeiras, na casa dos 300 Euros. Em Portugal, a Comissão Fulbright pode verificar a veracidade de diplomas universitários norte-americanos. A instituição já detectou três casos em que foram os próprios professores a tentar certificar os documentos, mas lança o alerta às universidades. As empresas que vendem diplomas na Internet estão bem defendidas. Avisam que os diplomas não devem ser utilizados de forma fraudulenta e têm pequenas diferenças que permitem defender legalmente as empresas deste tipo de comércio. A comissão Fulbright não sabe quantos professores haverá a leccionar com diplomas falsos mas pela facilidade de acesso a estas fraudes reforça que as universidades têm de estar atentas."


Quantos haverá?? E daqueles que são conhecidos e fazem alarde das suas qualificações??

sábado, novembro 12, 2005

O melhor aluno

Há dias, num jantar, um professor de Economia, a ensinar numa universidade, dizia mais ou menos assim:
"Gosto de ter alunos, mais do que a saber muito, que apresentem estas três características:
- raciocínio: saber pensar sobre uma situação ou sobre uma ideia;
- organização: saber delinear uma estratégia ou definir um plano para enfrentar a situação e atingir um determinado objectivo;
- disciplina: saber manter-se empenhado na linha de acção que foi decidida, embora sem nunca deixar de fazer os ajustes que se revelem necessários.
Um aluno destes consegue aprender tudo, mas mesmo tudo, o que eu tenho para lhe ensinar!"

1º, Concordo!
2º, Confesso que, nas minhas aulas, trabalho directamente muito mais a 1ª característica (por exemplo, exigindo sempre que os alunos expliquem o porquê do que afirmam) do que as outras .

E vocês, o que acham disto?

sexta-feira, novembro 11, 2005

E pronto! Outra vez a complicar!...

(Adivinhem quem enviou...? TL!!! A blogamiga de sempre! Obrigada, TL! ;o))


Lamentavelmente...
A
... quem estava a confundir as coisas era mesmo...
A
... o Professor!!!
A
(É que o aluno NÃO ESTAVA a brincar!...)
A
Pessoal de Ciências: isto calha a todos!!!
A
;o) The LBug

quinta-feira, novembro 10, 2005

Mania de complicar!...

(Outro fantástico e-mail COM LUGAR AQUI da nossa blogamiga TL!!! Obrigada, TL! ;o))



Então...? Não é (tão) óbvio???
A
;o) The LBug

426 horas

"(...) Já os professores do 3º ciclo passam menos 426 horas [por ano nas escolas] do que a média dos colegas do mesmo nível de ensino da OCDE." (Sofia de Jesus, Diário de Notícias, 14/9/2005)

Só para informar que continuo, com a ajuda este ano do Ministério da Educação, a tentar dar o meu modesto contributo para que os professores do meu país se aproximem daquela média.
Também é verdade que produzo muito menos: há mais interrupções e obstáculos a ultrapassar na escola do que em casa.
Por exemplo, a bagageira do carro é o meu armário dado que o Ministério ainda não me arranjou espaço para eu pôr o meu material de trabalho (bem como o dos mais de cento e tal professores da minha escola).
Ah, mas por outro lado, os 3 computadores e uma impressora da escola chegam-me porque os meus colegas, anti-patrioticamente, recusam-se a colaborar comigo neste meu esforço de fazer da escola o nosso local de trabalho.
Falta dizer: sou muito mais feliz assim! A minha casa passou a ser só minha, o meu espaço e o meu equipamento idem. Até o meu tempo fora da escola passou a ser meu (ou de quem me apetecer)! Estou a falar a sério. Experimentem!

sábado, novembro 05, 2005

Político = mercenários... e os professores?

Os políticos são os mercenários de todas as "guerras".
Eles são pagos para fazer um trabalho.
Até há quem defenda que deviam ser muito melhor pagos do que já são, a fim de atrair os mais competentes para essa profissão.
Isso lembra-me aquela anedota já antiga:
"Um homem e uma mulher encontram-se lado a lado num avião.
Ele pergunta-lhe: Você faria amor comigo por um milhão de euros?
Ela: Bem, por um milhão de euros eu faria, sim.
Ele: E por um euro?
Ela: Por um euro?? Quem é que você pensa que eu sou?!
Ele: O que você é [e também o que ele é, acrescento eu] já ficou decidido na primeira pergunta, agora é só uma questão de discutir o preço."
Esperar que os políticos tenham (e levem à prática) valores morais e éticos é puro idealismo. Que pelo menos cumpram as suas promessas ou, já agora, a lei, ainda é esperar bastante.


Quem achar que estou a embarcar numa cruzada anti-políticos, desengane-se.
Sou um professor. Este post poderia aplicar-se aos professores.
E aplica-se, que me desculpem os meus colegas e amigos professores que se possam sentir ofendidos com isto. Eu explico.
Nunca se sentiram desconfortáveis ao ouvirem defender que a escola deve também transmitir valores, os valores que o poder e a sociedade entendem que devem ser transmitidos... independentemente dos valores que cada professor em particular perfilha?
Por exemplo: o governo do meu país, o meu patrão, aquele que me dá emprego e é responsável por eu receber um salário, entendeu apoiar a invasão do Iraque. Eu sou contra essa guerra. Que devia eu transmitir nas aulas de Formação Cívica? A resposta só deveria ser uma: a posição oficial do meu país. Não a minha pessoal, porque senão estou a defender os meus interesses particulares... exactamente aquilo que eu critico nos políticos. Portanto... mercenário!
Este quadro pode-se tornar mais dramático quando chegarmos à Educação Sexual: mesmo que os conteúdos sejam apenas informação, não há nenhuma informação que seja neutra em termos de valores. Como é? Mercenários ou não? Estão a perceber?